UPA em pauta na Câmara Municipal

          O funcionamento, os recursos humanos e a manutenção do serviço da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) foram tratados na reunião da Comissão de Serviços Municipais e Saúde nesta quarta-feira, dia 13 de setembro. Estiveram presentes para esclarecimentos Poder Executivo e direção da empresa contratada para gerenciamento da instituição.

           Na oportunidade, o presidente da Comissão, vereador José Clemente Corrêa (PSDB), e vereadores componentes Eric Lins (DEM), Elton da Rocha (PP), Suzana Alves (PRB), Vilson Brites (PMDB), acompanhados pelos vereadores Zulma Ancinello (PRB), Carlos Delgado (PP) e Mano Gás (PSDB) realizaram questionamentos aos responsáveis pela UPA.



 

             Esse assunto foi tratado anteriormente na segunda-feira, dia 11 de setembro, entre o presidente da Casa Legislativa, Fernando Tarragó, demais vereadores e Prefeito, Ronnie Mello, e assessoria, momento em que foi dado o encaminhamento para a reunião de hoje.   

 

               Entre o destacado, a secretária Municipal de Saúde, Thais Aramburu, explanou os motivos da terceirização para o pleno funcionamento da Unidade, sendo o município incapaz de gerenciar o local que precisa de no mínimo 60 servidores e o Hospital Santa Casa de Caridade, primeiro contatado, ter se manifestado também sem condições para assumir a administração. O secretário Municipal de Administração, Ricardo San Pedro, esclareceu a transparência e a legalidade com que foi dada a contratação emergencial da empresa, estando o município obrigado pelo Poder Judiciário a dar início as atividades e a escolha ter obedecido o critério de menor preço. Ainda salientou que o contrato emergencial é de seis meses e até esse período deverá ser realizado processo licitatório para novo contrato.

         Representantes de empresa Sílvio Scopel que mantém contrato com a Prefeitura para administração da Unidade, a diretora da UPA, Pauline Souza e coordenador da enfermagem, Eder Flores, relataram o trabalho de transição para início do trabalho, a efetivação as atividades e as expectativas do exercício. A respeito da contratação de pessoal, foi garantido que houve a seleção com base nas habilidades e currículos dos candidatos com experiência em urgência e emergência, além de cordialidade e humanização. “Não houve apadrinhamento, prezamos o atendimento à população”, afirmou Pauline ao adiantar que deverá ser realizado Processo Seletivo com prova de conhecimentos, de títulos e psicológica.

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados